quarta-feira, 10 de agosto de 2011

NEEMIAS

NEEMIAS
Retrato Histórico de Israel antes e após a Chegada de Neemias em Jerusalém – Parte I.

Império Babilônico
“Entretanto, se vocês não obedecerem ao Senhor, ao seu Deus, e não seguirem cuidadosamente todos os seus mandamentos e decretos que hoje lhes dou, todas estas maldições cairão sobre vocês e os atingirão: Vocês serão amaldiçoados na cidade e serão amaldiçoados no campo. A sua cesta e a sua amassadeira serão amaldiçoadas.
Os filhos do seu ventre serão amaldiçoados, como também as colheitas da sua terra, os bezerros e os cordeiros dos seus rebanhos. Vocês serão amaldiçoados em tudo o que fizerem.
O Senhor enviará sobre vocês maldições, confusão e repreensão em tudo o que fizerem, até que vocês sejam destruídos e sofram repentina ruína pelo mal que praticaram ao se esquecerem dele. O Senhor os encherá de doenças até bani-los da terra em que vocês estão entrando para dela tomar posse. O Senhor os ferirá com doenças devastadoras, febre e inflamação, com calor abrasador e seca, com ferrugem e mofo, que os infestarão até que morram.
O céu sobre a sua cabeça será como bronze; o chão debaixo de vocês, como ferro.
Na sua terra o Senhor transformará a chuva em cinza e pó, que descerão do céu até que vocês sejam destruídos. O Senhor fará que vocês sejam derrotados pelos inimigos. Vocês irão a eles por um caminho, e por sete fugirão, e vocês se tornarão motivo de horror para todos os reinos da terra. Os seus cadáveres servirão de alimento para todas as aves do céu e para os animais da terra e não haverá quem os espante. O Senhor os castigará com as úlceras do Egito e com tumores, feridas purulentas e sarna, males dos quais vocês não poderão curar-se. O Senhor os afligirá com loucura, cegueira e confusão mental. Ao meio-dia vocês ficarão tateando às voltas, como um cego na escuridão. Vocês não serão bem sucedidos em nada que fizerem; dia após dia serão oprimidos e roubados, sem que ninguém os salve. Você ficará noivo de uma mulher, mas outro homem a possuirá. Construirá uma casa, mas não morará nela. 
Plantará uma vinha, mas não provará dos seus frutos. O seu boi será abatido diante dos seus olhos, mas você não comerá da sua carne. O seu jumento lhe será tirado à força e não lhe será devolvido. As suas ovelhas serão dadas aos inimigos, e ninguém as livrará. Os seus filhos e as suas filhas serão entregues a outra nação e os seus olhos se consumirão à espera deles, dia após dia, sem que você possa erguer uma só mão para trazê-los de volta. Um povo que vocês não conhecem comerá aquilo que a terra e o seu trabalho produzirem, e vocês sofrerão opressão cruel todos os seus dias. Aquilo que os seus olhos virem os levarão à loucura. O Senhor afligirá os seus joelhos e as suas pernas com feridas dolorosas e incuráveis, e que se espalharão sobre vocês desde a sola do pé até o alto da cabeça. O Senhor os levará, e também o rei que os governar, a uma nação que você e seus antepassados nunca conheceram. Lá vocês adorarão outros deuses, deuses de madeira e de pedra. Vocês serão motivo de horror e motivo de zombaria e de riso para todas as nações para onde o Senhor o levar. Vocês semearão muito em sua terra, mas colherão bem pouco, porque gafanhotos devorarão quase tudo. Plantarão vinhas e as cultivarão, mas não beberão o vinho nem colherão as uvas, porque os vermes as comerão.Vocês terão oliveiras em todo o país, mas vocês mesmos não utilizarão o azeite, porque as azeitonas cairão. Os seus filhos e filhas não ficarão com vocês, porque serão levados para o cativeiro. Enxames de gafanhotos se apoderarão de todas as suas árvores e das plantações da sua terra. Os estrangeiros que vivem no meio de vocês progredirão cada vez mais, e cada vez mais vocês regredirão. Eles lhes emprestarão dinheiro, mas vocês não emprestarão a eles. Eles serão a cabeça, e vocês serão a cauda. Todas essas maldições cairão sobre vocês. Elas o perseguirão e o alcançarão até que sejam destruídos, porque não obedeceram ao Senhor, ao seu Deus, nem guardaram os mandamentos e decretos que ele lhes deu. Essas maldições serão um sinal e um prodígio para vocês e para os seus descendentes para sempre. Uma vez que vocês não serviram com júbilo e alegria ao Senhor, ao seu Deus, na época da prosperidade, então, em meio à fome e à sede, em nudez e pobreza extrema, vocês servirão aos inimigos que o Senhor enviará contra vocês. Ele porá um jugo de ferro sobre o seu  pescoço, até que os tenham destruído. O Senhor trará, de um lugar longínquo, dos confins da terra, uma nação que virá contra vocês como a águia em mergulho, nação cujo idioma não compreenderão, nação de aparência feroz, sem respeito pelos idosos nem piedade para com os moços. Ela devorará as crias dos seus animais e as plantações da sua terra até que vocês sejam destruídos. Ela não lhes deixará cereal, vinho, azeite, como também nenhum bezerro ou cordeiro dos seus rebanhos, até que vocês sejam arruinados. Ela sitiará todas as cidades da sua terra, até que caiam os altos muros fortificados em que vocês confiam. Sitiará todas as suas cidades, em toda a terra que o Senhor, o seu Deus, lhe dá”  (Deuteronômio 28:15-52).



Antes de começar a falar da história de Neemias é importante que saibamos o significado da profecia feita por Moisés a Israel, muito tempo antes do exílio babilônico, na realidade, nem sequer ainda o povo hebreu tinha dominado a terra de Canaã, e o discurso foi feito um pouco antes desta conquista.
No trecho supra, que faz parte do fim do discurso sobre as bênçãos e castigos para o povo de Deus, Moisés é bem enfático, destaca que o Senhor permitirá que uma nação de língua estranha os dominará e os fará escravos de governos pagãos. Nos perguntamos então, que nação(ões) é(são) essa(s)? na realidade houveram dois momentos de exílio ou êxodo do povo escolhido, a primeira leva foram os israelitas, ou seja, o reino do norte que foi levado pelo império Assírio (721 a.C.) donde não mais voltaram, mais da metade da população teria sido então extirpada, cerca de 1,5 milhões de pessoas, crianças e adultos foram mortos e/ou exilados na invasão, estes deram origem ao povo miscigenado com povos pagãos, denominados samaritanos, que eram vítimas de discriminação no tempo de Jesus.
Mas Jerusalém que fazia parte do reino do sul (Judá, por isso, judeus) não foi invadida, só em 586 a.C. após dois anos de cercada e sitiada por Nabucodonosor, Jerusalém cai, na época o rei de Judá era Zedequias, a cidade foi totalmente destruída, sua muralha que trazia muita confiança ao povo se transformou boa parte em ruínas, e em outras, enormes fendas, que são comentadas por Hanani a Neemias alguns anos mais tarde.
Como dito anteriormente, Israel não conseguiu manter sua população intacta e misturaram-se com outros povos na Assíria, mas com Judá foi diferente, apesar de todos serem deportados a babilônia, mudando até alguns costumes e língua quando o hebraico cede espaço para o aramaico (língua babilônica) não miscigenaram a nação, pois viviam em colônias, mantendo as antigas tradições e o desejo de voltar a terra prometida, por isso, firmaram-se e não perderam a identidade autenticamente judaica.
Apesar do exílio, alguns do meio do povo, principalmente os mais pobres ficaram nas cidades de Judá que estava em estado deplorável, com o passar do tempo as esperanças de voltar a terra ia se esvaindo e a cada dia daquele quase meio século de servidão o povo perdia a motivação.
O império babilônico começou a ruir, enfraqueceu-se ao ponto de após 87 anos (626 a.C. – 539 a.C.) desde o seu início com Nabopassalar, não resisti ao poderio do império persa que chegou para tomar o poder e dominar o mundo daquela época por quase dois séculos.
O império Persa começou quando as tropas de Ciro sitiaram a capital babilônica, mas sem guerra, tampouco resistência, pois Gobrias trai o imperador babilônico (com o apoio do povo que queria sair da mão do tirano) Nabonido(fraco líder que impôs inovações religiosas  criando um sentimento de revolta nos seus súditos). Por isso, ao invés de Ciro ser considerado um conquistador, tornou-se libertador do povo, a citação a seguir trata sobre Ciro, rei Persa e sua política para os deportados:
“Ciro foi um homem de extrema habilidade política. Ele procurou governar de forma pacífica tratando os seus conquistados com grande consideração. Para um líder daquela época de tantas atrocidades, era um homem de espírito generoso”. (GUSSO, p. 152, 2010).
Com isso, os governos seguintes ao de Ciro foram do mesmo modo “generosos”, começando a liberar os deportados para suas terras de origem, isso não quer dizer que os que começaram a voltar tinham sido moradores outrora ao exílio de Babilônia, pelo contrário, muitos deles estavam indo, ao invés de voltando (como pensam alguns), pois a maioria, senão todos que foram exilados não retornaram, já que o cativeiro durou mais de meio século.
O primeiro grupo a retornar a Judá foi o de Zorobabel – neto do rei Joaquim –  (Esdras 2), para alguns parece até que Ciro foi um convertido judeu, mas não, ele era um político versátil e queria paz com todos os povos e deuses. Logo após Zorobabel foi a vez de Esdras – descendente do Sumo-sacerdote Arão (Ed 7:1-5) sair com outro grupo, só que dessa vez diretamente para Jerusalém e “sua atuação foi fundamental para Judá, a ponto de ele ter sido considerado pela tradição como segundo Moisés” (GUSSO, p. 160, 2010).
O terceiro grupo foi o que teremos maior foco, quando Neemias lidera poucas pessoas a volta a Jerusalém. Na realidade, após seu irmão Hanani voltar de uma viagem à Jerusalém Neemias o intercepta com o seguinte questionamento “Como está nosso povo?” e Hani responde “Em estado deplorável de miséria, as portas da cidade estão caídas ao chão e crateras enormes fragiliza a muralha, o povo sente fome, a escassez é comum lá, a poeira e os entulhos se misturam ao povo”, com essa notícia Neemias, amante do seu povo e serviçal do Deus altíssimo, senta-se e chora copiosamente, os seus prantos chegam ao trono de Deus, quando ele começa a lembrar do desvio do povo aos preceitos de Deus e as consequências disso, fazendo uma nostalgia ao discurso de Moisés no deserto citado no início deste texto.
Após isso Neemias passa em torno de quatro meses em uma “campanha de oração” pedindo a Deus misericórdia para com o povo de Judá e discernimento e sabedoria para falar com o Rei Artaxerxes I (Longimanus – nome original do rei), Artaxerxes era um título, como o título de Faraó.
Após conversar com o rei, é liberado para reconstruir Jerusalém e consigo leva outros oficiais, como também cartas para os governantes vizinhos. Não existe a possibilidade de saber quantas pessoas acompanharam Neemias nesta grande comissão de reconstrução, mas não foram muitas, mesmo assim, foi estabelecido como novo governador de Judá que estava sem liderança desde o cativeiro babilônico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mapa de Visitantes

Loading...